Follow by Email

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

À Vida! - Um brinde em versos - Edição 2012

 
 
 
Núbia Cavalcanti dos Santos
Sanharó / PE

À espera da felicidade
Da vida, tudo o que eu quero
É encontrar a minha alma gêmea
E viver um grande amor
Um amor que vive somente em meus sonhos
E que cresce a cada amanhecer
Assim como crescem as flores
Que desabrocham na primavera.
Da vida, tudo o que eu quero
É acordar sempre ao lado desse alguém
E encontrar em seus braços aconchegantes
O meu porto seguro, a minha fortaleza
Onde eu possa sentir-me protegida
Sem medo de viver o presente
Sem medo de sonhar com o amanhã.
Da vida, tudo o que eu quero
É viver intensamente a magia do amor
E celebrar a cada dia que nasce
A felicidade de ter encontrado um grande amor
Que me faça sorrir e até chorar
Mas, que cada lágrima caída
Sejam gotas de felicidade.

Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos - Vol. 96



                                                          Núbia Cavalcanti dos Santos
                                                                                    Sanharó / PE


Enquanto você não vem
 
Enquanto você não vem
Vou tentando sobreviver
Alimentando-me das lembranças de outrora
Que persistem em me acompanhar
Trazendo com elas a sua imagem
Aonde quer que eu vá.

Enquanto você não vem
Vou levando a vida ao léu
E da solidão tentando me esquivar
Para amenizar a dor lacerante
Que o meu peito corrói
Fazendo minha alma sangrar.

Enquanto você não vem
Vou buscando encontrar os meus sonhos
Que se perderam em meio ao caminho
Ou, quem sabe, me abandonaram
Enquanto eu lamentava profundamente
A ausência dos teus carinhos.

Enquanto você não vem
Vou procurando uma explicação
Para esse imenso amor que por você sinto
E que ultrapassa qualquer obstáculo
Porque o meu amor por você
É bem maior que o infinito.


Panorama Literário Brasileiro 2012/2013.



                                                Núbia Cavalcanti dos Santos
                                                                                   Sanharó / PE



Depois que você se foi


Depois que você se foi
Meu coração virou um deserto
Meus dias...
Já não os sinto passarem
Minha vida...
Já não tem mais sentido
E sinto-me como se fosse:
Uma ave que perdeu seu ninho
Uma rosa que não desabrochou
Uma noite sem luar...
Depois que você se foi.

Depois que você se foi
Nada mais me importa
Sinto que minha alma
Meu corpo abandonou
E agora, está morta
Porque não suportou a saudade
Que no meu peito, se alojou
Esmagando o meu coração
Que de dor, está sangrando
E de amor, está clamando
Depois que você se foi.