Follow by Email

domingo, 7 de junho de 2015

Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos - Volume 125

Núbia Cavalcanti dos Santos
Sanharó / PE

Dilema

Por muitas vezes tentei esquecer esse amor insano
Que me consume por inteiro
Levando-me à beira da loucura
E transformando o meu mundo em um caos.

Já não sei mais quem eu sou!
Minha imagem reflete no espelho
Tão somente um esboço opaco
De uma juventude que se foi com o tempo
E que jamais voltará.

Cada ruga encravada no meu semblante
Registra uma época do meu passado
Trazendo-me de volta recordações
Incrustada no fundo do meu ser
Que só me fazem sofrer.

Como posso eu viver presa a um amor
Que há muito tempo me desprezou
Transformando a minha vida nesse dilema
Que parece não ter fim?

Poema publicado no livro "Explode Coração!!!" - Edição Especial

Núbia Cavalcanti dos Santos
Sanharó / PE

Indeciso coração

Quando me olhas assim...
Fico atônita, sem saber o que fazer...
Pois sinto dentro de mim
Meu coração estremecer!

E na minha face o rubor
Denuncia minha timidez
Enquanto o meu corpo arde com fervor
Por te querer outra vez.

Quis o destino nos unir novamente
Ou será apenas o meu indeciso coração
Que insiste em te amar loucamente?

Se não me amas mais
Por que não vais embora
E me deixas viver em paz?

Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos - Volume 124

Núbia Cavalcanti dos Santos
Sanharó / PE

Menino de rua

Menino de rua...
Que sina, essa tua!
Onde estão teus pais?
Ou já não os tens mais?

Menino de rua...
Fruto de uma gravidez indesejável
Nascido de pais irresponsáveis
E ainda dizem que a culpa é tua!

Menino de rua...
Tão jovem e tão maltratado!
Para as estatísticas, um morador de rua
Ou mais um miserável?

Menino de rua...
Em tuas andanças solitária e sem destino
A tua companhia é um cão sarnento
Que foi abandonado pelo seu dono!

Menino de rua...
Teu teto é sob a luz da lua!
Tua cama, um pedaço de papelão!
Teu alimento, migalhas de pão!

Menino de rua...
Desprezado por uma sociedade desumana
E invisível aos olhos dos poderes públicos!
Que futuro terás, menino de rua?

Poema publicado no livro "100 Grandes Poetas Brasileiros" - Edição Especial

Núbia Cavalcanti dos Santos
Sanharó / PE

No limiar da paixão

Foi assim, que a nossa história começou
Em um dia qualquer
Numa manhã ensolarada
No limiar da primavera
Ao desabrochar das flores silvestres
Que espalhavam seu perfume pelo ar
Levado pela brisa suave.

Nossos olhares se encontraram
E o meu corpo estremeceu
Tomado por uma onda de calor
Que invadia todo o meu ser
Deixando-me paralisada
Sob a mira do teu olhar sedutor
Que me transportava para um mundo de magia.

Por um momento, tentei fugir
Daquele sentimento que em mim nascia
Mas, impossível resistir
Àquele olhar instigante
E àquele sorriso enigmático
Que parecia esconder tantos mistérios
Difíceis de serem revelados.

Deixei  me envolver pela magia
Dos sentimentos que tomavam conta do meu ser
E, no aconchego dos teus braços
Eu deixei me prender
No calor dos teus beijos ardentes
Eu conheci o paraíso
E encontrei o meu grande amor.

Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos - Volume 123

Núbia Cavalcanti dos Santos
Sanharó / PE

À beira do precipício

Sinto-me imensamente vazia
Meu coração transformou-se em um deserto
Escasso de sentimentos
Sentimentos que foram morrendo lentamente
Atropelados pelas desilusões da vida.

Foram tantas as decepções
Vindas de onde eu menos esperava
Essa foi a recompensa que recebi
Por ter me doado por inteiro
Esquecendo até de mim mesma.

De tanta ingratidão acumulada
Senti que minh'alma foi ficando angustiada
E o meu sorriso foi se apagando
Assim como o brilho do meu olhar
Que foi  ficando opaco, sem vida.

Angústia e desalento
Foi tudo o que me restou
E hoje me sinto à beira de um precipício
Prestes a mergulhar no imenso vazio
De onde jamais poderei retornar.

Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos - Volume 122

Núbia Cavalcanti dos Santos
Sanharó / PE

Certos momentos

Há momentos que precisamos ficar em silêncio
E deixarmos fluir os sentimentos
Ultrapassando as fronteiras do pensamento
Sem medo de singrarmos novos horizontes
Indo ao encontro de novas emoções
Deixando para trás antigas ilusões
E nos entregarmos ao direito de recomeçarmos
E sermos felizes novamente.

Há momentos que precisamos caminhar sozinho
E sentirmos a brisa suave da noite cálida
Enquanto a luz prateada do luar
Baila suavemente entre as nuvens
Que se dissipam lentamente
Vagando entre estrelas reluzentes
Que bordam o infinito firmamento
Com gotículas de luz.

Poema publicado no livro "Amor em sol maior" - Edição Especial

Núbia Cavalcanti dos Santos
Sanharó / PE

Contradições

Posso até reclamar da vida
E das escolhas erradas que fiz
Mas o que eu não posso é deixar
Que os meus dissabores destruam
Os sonhos que ainda cultivo.

Posso até querer ignorar o mundo ao meu redor
E esconder-me no meu mundinho de faz de conta
Mas o que eu não posso é deixar
Que a amargura tome conta o meu ser
Transformando o meu coração em pedra.

Posso até me revoltar contra o destino
Culpando-o pelas minhas escolhas
E pelos erros que cometi
Mas o que eu não posso é deixar
De tentar mais uma vez.

Posso até sentir-me derrotada
Por não ter sido capaz de ter ao meu lado
Aquele que tanto amei
Mas o que eu não posso é deixar
De acreditar que o amor ainda existe.