Follow by Email

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

XXXIV Concurso Internacional Literário das Edições AG - "Liberdade".

 Poetisa: Núbia Cavalcanti dos Santos. 
Classificação: 4º Lugar.

Insônia

A noite chega
Calma e silenciosa
Enquanto a chuva cai lá fora
Trazendo com ela a brisa suave
De mais uma noite de inverno.

Na solidão do meu quarto vazio
Sob a luz opaca do abajur
Tento afastar as lembranças nítidas
Das noites de amor ardente
Que vivemos intensamente.

Mas, o perfume inebriante
Que exala do travesseiro macio
Faz-me lembrar teu corpo viril
E o aconchego dos teus braços fortes
Ainda sinto envolvendo meu corpo.

E assim, a noite arrasta-se
Com passos lentos, vagarosos
Enquanto o sono não chega
Para ameniza a saudade que sinto
Do meu amor, que foi embora.


   Boneca de trapo

Hoje, eu preciso dizer-te adeus
Embora esteja
Com o coração em pedaços
Eu preciso enterrar todo esse amor
Que por tanto tempo
Eu guardei em segredo
Como se fosse
Um grande tesouro.

Hoje, eu descobri
Que tanto amor foi em vão
E, em tuas mãos
Eu fui somente um brinquedo
Uma boneca de trapo
Que usaste, e depois
Quando não mais te servia
Jogaste fora.

Sei que irei sofrer imensamente
Porque um amor assim
Tão grande e tão sublime
É para a vida inteira
E, mesmo não sendo correspondido
É quase impossível conseguir esquecer.

Talvez algum dia
Quando olhares à tua volta
E te sentires sozinho
Quem sabe, lembraras de mim
E daquele imenso amor
Que não relutasse em jogar fora.

E então, será tarde demais
Pois o meu coração dilacerado
Não conseguiu suportar tanto desprezo
E tanto sofrimento e amargura
Fecharam-no para o amor
Com medo de sofrer novamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário