Follow by Email

sábado, 31 de março de 2012

Antologia Quem Sabe Faz Agora.

SEM VOCÊ

Sem você, meu amanhã
Será como um dia nublado
Sombrio e imensamente frio
Aonde as lembranças vão e veem
Trazendo com elas a saudade
De um amor que se foi.

Sem você, meu amanhã
Não terá mais aquela alegria
Que do meu olhar surgia
Sempre que você chegava
E enchia de encanto
A minha vida vazia.

Sem você, meu amanhã
Será sempre melancólico
E desprovido de felicidade
Embora alimentado pela esperança
De que você virá, ao anoitecer
Embalar os meus sonhos pueris.

VOU SAIR POR AÍ...

Vou sair por aí...
Sem rumo e sem destino
Andar por caminhos desconhecidos
E realizar sonhos adormecidos.

Vou sair por aí...
Em busca da liberdade
Que um dia eu renunciei
Em troca de um grande amor.

Vou sair por aí...
Lutar pela igualdade
Entre homens e mulheres
Entre pobres e ricos.

Vou sair por aí...
Descobrir novos horizontes
Quebrar tabus de velhas tradições
E deixar fluir minhas emoções.

Vou sair por aí...
Alforriar minha saudade
Capturar minha felicidade
E viver um grande amor.

VIDA, MINHA VIDA...

Vida, minha vida...
Às vezes, doce como o mel;
Às vezes, amarga como o fel.
Um dia, é um sonho cor-de-rosa;
No outro dia, uma negra desilusão.

Vida, minha vida...
Encanto, quando chega a primavera;
Desencanto, quando chega o inverno.
Luz, nas noites enluaradas;
Trevas, nas noites nubladas.

Vida, minha vida...
Assim, vai passando lentamente
Como uma nuvem acinzentada
Que corta o horizonte longíquo
Nos dias tépidos de verão.

Vida, minha vida...
Hoje, é um sonho dourado;
Amanhã, uma doce ilusão.
E depois, uma grande saudade
Pungindo o meu coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário